Serviço de alinhamento da convergência dos pneus

Os pneus dos automóveis, devido ao atrito com a superfície da estrada e ao próprio movimento, tendem a desviar a trajetória da sua posição inicial. A combinação das forças de desgaste e da tração entre a banda de rodagem do pneu e a estrada tendem a fazer com que as rodas abram ou fechem.

 

Por esse motivo, e para sua segurança, recomendamos que verifique a convergência das suas rodas nos nossos Driver Center, pelo menos, uma vez por ano.

 

O QUE É A CONVERGÊNCIA?

A convergência permite corrigir os problemas de trajetória e de aderência dos pneus, contrabalançando as forças que atuam sobre os mesmos - em particular as que se geram com o contacto com o terreno-, para anular esse efeito, estabilizando a condução e tornando o carro mais reativo.

 

A convergência é medida em graus e realizada de uma ponta à outra da roda, à altura do cubo. A diferença entre as duas medidas determina o valor de convergência que indica, precisamente, qual o tipo de convergência das rodas.

  • Existe uma convergência aberta (ou divergência) quando a parte anterior da roda aponta para a parte exterior do carro e, portanto, o valor da convergência é negativo. Imagine que está a olhar para o seu veículo de cima e que existem duas linhas retas a passar pelo ponto de relevo das jantes: nesse caso, o ponto de interseção das duas linhas retas estaria localizado atrás do veículo.
  • Por outro lado, há uma convergência fechada quando a parte da frente da roda aponta na direção do eixo central e, portanto, o valor da convergência é positivo. Nesse caso, imaginando que observa o seu carro de cima, o ponto de interseção entre os planos longitudinais, que passam entre as duas rodas, encontrar-se-ia à frente do veículo.

 

Esta regra aplica-se igualmente ao conjunto dianteiro e ao conjunto traseiro dos pneus de um carro.

 

Uma convergência incorreta força o condutor a realizar manobras corretivas forçadas durante a condução, o que pode comprometer a sua segurança, além de causar um desgaste irregular e não homogéneo dos pneus

 

QUANDO É NECESSÁRIO FAZER A CONVERGÊNCIA?

As razões pelas quais a convergência de um veículo fica comprometida podem ser diversas. É possível que durante a condução o carro passe por cima de um buraco. Nesse caso, o impacto pode desviar a posição da roda em relação ao eixo. Também pode acontecer que a roda do veículo bata no passeio durante uma manobra de estacionamento. Além disso, suspensões em mau estado ou com peças mecânicas montadas incorretamente podem comprometer a convergência.

 

A condição dos pneus permite reconhecer uma convergência incorreta a olho nu, uma vez que as diferentes partes dos mesmos estarão, por comparação, mais desgastados. De fato, ao inspecionar os pneus, se parecerem mais desgastadas na parte interna ou externa, trata-se um indício de que deve ser realizada uma convergência às quatro rodas. Por outro lado, um pneu em mau estado também implica um maior consumo de combustível, mais ruído e a ocorrência de fortes vibrações.

 

Além de um desgaste irregular dos pneus, é necessário restaurar o ângulo correto dos mesmos quando o veículo tende a virar à direita ou à esquerda num trajeto em linha reta, ou se, após uma curva, o volante não retomar a sua posição sem esforço.

 

No que ao alinhamento original diz respeito, os pneus têm uma influência mais ou menos negativa no rendimento e na segurança da condução, pelo que a convergência deve ser controlada apenas quando se detetarem algum tipo dessas anomalias. Assim, é aconselhável confiar no profissionalismo dos especialistas presentes nos nossos Driver Center para realizar a convergência do seu carro.

 

Na Driver Center pode contar com a melhor assistência para uma manutenção de qualidade do seu carro ou da sua moto, graças ao profissionalismo e experiência dos nossos mecânicos, e também às máquinas e ferramentas de última geração que equipam as nossas oficinas.

 

COMO SE REALIZA A CONVERGÊNCIA

Antes de passar para os controlos computadorizados, o montador de pneus realiza uma inspeção geral e um controlo manual para verificar o jogo mecânico de rodas e suspensões, controlando os rolamentos, os cubos, as molas e os braços. De seguida, segue-se o controlo dos pneus, onde se verifica a pressão e é efetuada a insuflação, para dessa forma realizar uma nivelação uniforme do veículo. Somente após a intervenção do especialista se avança para a fase seguinte, que prevê o uso de um aparelho denominado alinhador de rodas.

 

Este dispositivo está equipado com um computador que permite analisar o alinhamento das rodas. As máquinas usadas atualmente são ultramodernas e contam com tecnologias 3D e raios laser.

 

Estas novas tecnologias permitem obter de forma automática os ângulos geométricos das suspensões e dos pneus em pouquíssimos minutos, de forma a corrigi-los minuciosamente.

O computador começa por controlar as medidas do eixo traseiro do veículo, verificando os parâmetros de convergência, do ângulo de Camber e do ângulo de impulso. De seguida, o eixo dianteiro é controlado através da medição da convergência, da corda e da incidência.

 

Se as medições desses parâmetros diferirem das indicadas pelo fabricante do veículo, procede-se à regulação do cabeçote para estabelecer o valor da convergência. Este valor é medido tanto em graus angulares como em milímetros.

 

A geometria das rodas deve ter em conta três parâmetros:

  • Toe: convergência que indica se as rodas estão direcionadas para dentro ou para fora, em relação ao eixo longitudinal do veículo.
  • O ângulo de Caster.
  • O ângulo de Camber.

 

As oficinas Driver Center estão equipadas com tecnologias avançadas que permitem medir os ângulos geométricos das rodas e das suspensões de forma rápida e automática.

 

Regra geral, quando a convergência é realizada, é conveniente equilibrar os pneus para corrigir a rotação até que girem de forma regular e homogénea.