Permutação das rodas

Manter os pneus em boas condições é importante para melhorar a segurança e a aderência do seu carro à estrada.

 

Como a maioria dos carros tem tração dianteira ou traseira, o desgaste dos pneus é gerado de maneira irregular e não uniforme.

 

Se não prestar atenção à manutenção dos pneus (por exemplo, ao não encher os pneus adequadamente ou ao percorrer muitos quilómetros em estradas não pavimentadas sem verificar as condições dos mesmos), poderá danificá-los e causar um desgaste prematuro. Por esse motivo, a manutenção dos pneus ocupa um lugar muito especial na lista de manutenção que todos os motoristas devem confiar aos especialistas.

 

O processo regular de rotação dos pneus, bem como a precaução de trocar os pneus desgastados, permite garantir padrões de segurança mais elevados.

 

Como se mede o nível de desgaste dos pneus?

Para controlar o estado do progresso do desgaste dos pneus, basta controlar os indicadores presentes no piso (banda de rodagem) dos mesmos, sendo que a profundidade mínima está fixada por lei nos 1,6 milímetros. Outros sinais que podem indicar desgaste do pneu são a presença de inchaços ou cortes profundos no ombro do pneu, além das jantes deformadas ou danificadas.

 

Uma das maneiras de evitar o desgaste excessivo dos pneus, e assim evitar riscos e prolongar a duração dos mesmos, é modificar as suas posições, sendo que este processo deve ser realizado em intervalos de tempo o mais regulares possíveis. Deve-se ainda considerar que um pneu em boas condições contribui para uma maior poupança de combustível.

 

Atenção, o especialista não recomendará a utilização de nitrogénio para todos os veículos. Este gás não é recomendado para carros de cilindrada pequena e média; para veículos que circulam quase exclusivamente nas cidades e, portanto, não colocam os pneus em situações de utilização extremas, uma vez que executam viagens a velocidades reduzidas; e para os carros de pequeno tamanho. Estes últimos têm um peso relativamente baixo (embora seja uma medida mínima comparada com os carros com mais cilindrada) e, portanto, uma redução do peso, no que aos pneus diz respeito, tornaria o veículo mais instável durante as curvas.

 

Com que frequência deve ser feita a rotação dos pneus?

Regra geral, é aconselhável seguir as instruções no manual de utilização do carro e fazer uma avalização de acordo com o uso dos pneus (ou seja, se há um uso mais citadino, ou, pelo contrário, se há uma maior utilização em autoestradas e estradas fora das urbanizações).

 

O conselho dos nossos especialistas Drive Center Centro é rodar os pneus (do eixo traseiro para o eixo dianteiro ou vice-versa) a cada 10.000 ou 15.000 quilómetros (ou, pelo menos, uma vez por ano). O processo é recomendável mesmo que não haja sinais óbvios de desgaste e, claro, quando existe um desgaste não homogéneo dos pneus. Isto porque os pneus dianteiros tendem na maioria dos casos a desgastar-se mais rapidamente que os pneus traseiros. Pelo contrário, a rotação dos pneus em veículos 4x4 e tração às quatro rodas deve ser realizada de forma cruzada.

 

No caso de pneus direcionais (assim denominados porque devem rolar apenas num determinado sentido para favorecer o escoamento da água em caso de piso molhado e identificados por uma seta no lado externo que indica o sentido de rotação), não é possível efetuar a permutação dos pneus do lado esquerdo com os do lado direito, ou vice-versa. Este tipo de pneus garante rendimentos mais altos, mas, como afirmado anteriormente, devem ser montados numa posição específica. Com esta tipologia de pneus, pode realizar-se a rotação na mesma jante em algumas situações: esta prática é realizada quando se nota um desgaste considerável na parte externa do pneu.

 

Todavia, no geral, é aconselhável equipar pneus da mesma marca e do mesmo tamanho, além da mesma categoria de uso. De fato, as características dos pneus montados nas rodas devem ser o mais uniformes possíveis para garantir uma boa estabilidade na condução, sem vibrações.

 

O desgaste dos pneus varia de acordo com a tração do seu carro, sendo que existem regras muito precisas que devem ser estritamente respeitadas, uma vez que o peso do carro afeta principalmente a parte de onde é gerado o impulso do mesmo: a tração dianteira desgasta mais os pneus dianteiros (geralmente o processo de desgaste característico deste tipo de tração é duas vezes mais rápido, uma vez que os pneus dianteiros também têm a tarefa de descarregar a potência do motor no solo e são responsáveis por direcionar o veículo), enquanto que a tração traseira causa mais desgaste nos pneus traseiros (embora a diferença neste caso seja menor que o mencionado para os carros com tração dianteira).

 

Nos carros com tração dianteira, no caso de se tratarem de pneus simétricos, estes são permutados de forma cruzada, enquanto que no caso de pneus assimétricos, os pneus dianteiros são trocados com os traseiros, mantendo o mesmo eixo.

 

Nos carros com tração traseira, no caso de pneus simétricos, o par dianteiro é transportado para a traseira do veículo, invertendo o eixo, enquanto que os pneus traseiros são colocados na frente, mantendo o eixo. No caso de pneus assimétricos, os pneus da frente devem ser permutados entre si, mantendo também o mesmo eixo.

 

Nos carros com tração às quatro rodas, no caso de pneus simétricos, os pneus da traseira são transportados para a parte dianteira, invertendo o eixo, enquanto que os pneus dianteiros são colocados na traseira do veículo, mantendo o eixo. Por outo lado, no caso de pneus assimétricos, os pneus frontais devem ser permutados entre si, mantendo também o mesmo eixo.

 

Embora o trabalho de rotação dos pneus seja bastante simples, deve-se considerar a necessidade - quase indispensável - de realizar uma correta análise do desgaste do desgaste. Por esse motivo, é aconselhável recorrer a profissionais bem preparados, como os que trabalham nas oficinas Driver Center.

 

Apenas se realizado da maneira correta, o trabalho poderá garantir ao carro vantagens efetivas em termos de desempenho. Os nossos técnicos estão disponíveis para esclarecer qualquer dúvida ou questão, não apenas em relação a pneus, mas também em relação a jantes para todos os modelos em circulação.

 

Com base no modelo do seu carro e estilo de direção, os nossos especialistas poderão ajudá-lo a escolher os pneus que melhor se adequam às suas necessidades.

De um ponto de vista geral, o estado de saúde dos seus pneus será submetido a uma assistência de alta qualidade e a um controlo preciso.

 

Entre os serviços oferecidos pelos nossos mecânicos destacam-se: a insuflação com nitrogénio e o controlo dos níveis de pressão (operação que deve ser realizada uma vez por mês); a venda, a montagem e a desmontagem do conjunto de pneus de inverno; a mudança de pneus; a venda de correntes de neve e pneus de inverno segundo os critérios de qualidade válidos em toda a Europa; a equilibragem dos pneus; o controlo da geometria das quatro rodas; a revisão e o controlo da convergência dos pneus; e a venda e substituição de jantes de liga leve das principais marcas.

 

Leve o seu carro, moto ou scooter com confiança a uma oficina Driver Center: estaremos à sua disposição para verificar e controlar a saúde dos seus pneus.