Controlo dos freios

 

Todos os carros, antigos ou modernos, precisam de um dispositivo capaz de reduzir a energia cinética criada pela velocidade, abrandando o carro no menor tempo possível e com a máxima segurança. Ou seja, todos os carros precisam de... travões.

 

Desde o início da história automobilística que os carros foram equipados com sistemas de travagem de diferentes tipos que, de uma maneira mais ou menos complexa, garantiam a paragem do veículo. Com o aumento da potência do motor e das velocidades máximas alcançáveis, esses sistemas foram modificados e aperfeiçoados até atingirem os modernos mecanismos de travagem.

 

Geralmente, o sistema de travagem de um veículo pode ser de dois tipos distintos: hidráulico ou mecânico.

 

O sistema de travagem hidráulico é composto por dois circuitos separados. Cada circuito está disposto na diagonal em relação ao veículo (o travão dianteiro esquerdo está conectado ao travão traseiro direito, e vice-versa). Na eventualidade de um circuito parar de funcionar normalmente, a ação de travagem nas outras duas rodas permanecerá inalterada.

 

Por outro lado, no sistema mecânico, os travões funcionam a partir da ativação uma alavanca ou de um instrumento específico que ativa diretamente o sistema de travagem.

 

Também os travões também podem ser de tipos diferentes, mas os principais são os de tambor ou os de disco.

 

No início da história automobilística, a maioria dos travões era de tambor, pois eram mais fáceis de fabricar, mas, devido ao seu funcionamento, causavam também um maior efeito de desgaste nos componentes do automóvel. Os tavões de tambor são compostos por um cilindro rotativo (chamado, precisamente, tambor), que gira na mesma direção do componente a ser travado e por um ou dois elementos (denominados de calços, que são submetidos a uma forte fricção) apropriados para abrandar o movimento do veículo.

 

Esse sistema de travagem também foi modificado e melhorado ao longo do tempo, evoluindo para os modernos sistemas de travagem a disco, nos quais as pastilhas pressionam um disco de metal ou uma liga particularmente resistente, provocando o abrandamento do veículo.

 

A maioria dos veículos modernos já possui sistemas de travagem a disco que funcionam com a presença de líquido. Nesse tipo de sistemas, a manutenção é muito mais simples em relação a outros e menos desgastante para o próprio veículo, uma vez que é suficiente controlar o líquido dos travões e o estado das pastilhas.

 

O líquido mais adequado para o sistema de travagem é aquele que oferece mais vantagens significativas, incluindo a alta resistência a mudanças de temperatura, o que reduz o risco de mau funcionamento do sistema de travagem.

 

Quando há uma utilização mais exigente dos travões, existe o risco de sobreaquecimento do líquido, que poderia modificar a sua densidade e, por consequência, fazer com que o sistema responda de forma diferente, influenciando de forma considerável o desempenho do veículo.

 

Existem muitos tipos de líquidos que indicam a resistência à temperatura ou a sua densidade. Quanto maior a densidade do líquido, mais forte será a travagem.

 

Como todos os componentes "ativos" de um veículo, os travões estão particularmente sujeitos a desgaste. Portanto, requerem uma manutenção regular e constante em oficinas especializadas.

Há vários cuidados a ter para garantir o correto funcionamento do sistema de travagem, mas a principal é a verificação constante do líquido presente no circuito.

 

É muito importante controlar o líquido dos travões. Com efeito, o líquido exerce pressão sobre as pastilhas que são friccionadas contra o disco. Por esse motivo, é necessário que a quantidade de líquido presente no sistema esteja sempre entre os valores mínimos e máximos indicados no depósito para garantir a pressão adequada e, consequentemente, uma correta travagem. Se verificar que os níveis se encontram abaixo dos limites, e a travagem parecer deficiente, deve dirigir-se a um profissional para verificar o estado do sistema.

 

Nunca se deve misturar líquidos diferentes, uma vez que essa prática comprometeria a precisão e a segurança do sistema de travagem.

 

Outra operação essencial de manutenção, que deve ser levada a cabo com regularidade, é a verificação constante do estado e do desgaste das pastilhas. É preciso notar que se as pastilhas foram substituías tardiamente, será também necessário substituir o disco. De resto, o disco deve estar sempre liso para garantir um desgaste homogéneo das pastilhas uma travagem homogénea e constante, mas, se por qualquer motivo, houver uma demora acentuada na substituição das pastilhas, é possível que o disco se tenha arranhado devido ao desgaste das pastilhas ou de outros componentes rígidos.

 

Além disso, é necessário verificar o bom estado dos tubos e das juntas que compõem o circuito de travagem. Geralmente, os tubos são fabricados de duas maneiras: ou com materiais rígidos (precisam de uma manutenção específica) ou com materiais reforçados flexíveis (por exemplo, tubos trançados ou tubos de borracha envolvidos por uma estrutura de reforço de aço, que serve para evitar a dilatação com o aumento da temperatura ou da pressão).

 

Quanto às juntas do circuito hidráulico, é importante verificar se existem fugas e o estado do material envolvente, pois o desgaste desses componentes pode resultar em perdas de líquido e comprometer a qualidade da travagem.

 

É necessário saber que os prazos nos quais se deve proceder à mudança do líquido depende do tipo do fluído usado pelos travões da própria viatura. Existem muitos tipos de líquidos e de natureza diferente: para um tipo normal de óleo DOT 4 (que se usa principalmente nos veículos em circulação), é aconselhável fazer a substituição após os 45.000 / 50.000 km, ou a cada dois anos. Por outro lado, para óleos de alto desempenho, como o DOT 5.1, a substituição é recomendada a cada 6 meses.

 

Para garantir uma boa travagem, existem outros elementos que devem ser considerados além do sistema de travagem, pneus e amortecedores.

Quando se trava para reduzir a velocidade do veículo, a energia cinética acumulada é libertada progressivamente no solo. O pneu está em contato direto com o solo, próximo dos amortecedores, e contribui principalmente para a redução da distância de travagem, o que garante a estabilidade do veículo, evitando deslizamentos e derrapagens descontroladas.

 

Em todos os veículos modernos, quando o travão é acionado, a força de travagem é distribuída pelas rodas dianteiras e traseiras. Geralmente, a maior parte dessa força é suportada pelas rodas dianteiras. Portanto, é importante dirigir-se a uma oficina Driver Center para verificar que todos os elementos que influenciam a travagem estão em boas condições, para evitar um desequilíbrio das rodas durante uma frenagem, que poderia causar uma derrapagem ou perda de aderência.

 

Para garantir que o seu carro ou a sua moto estão sempre em perfeitas condições, aconselhamos a realizar um controlo constante do nível de líquido nos travões e a fazer uma verificação geral do seu carro, no momento da inspeção periódica. Nesse momento, poderá controlar a condição de todos os elementos do seu carro, desde as velas de ignição até aos filtros de ar, desde os níveis do líquido de refrigeração até o nível do líquido do sistema de travagem, bem como de outros elementos, como as escovas do limpa para-brisas, os cabos, faróis e do sistema de iluminação.

 

Um grave problema que pode ser muito perigoso no que aos sistemas de travagem diz respeito é a observação de outros líquidos que pela sua proximidade se podem imiscuir no circuito do líquido do sistema de travagem, como a água ou, noutras situações, ar.

 

Essas substâncias, por terem uma consistência diferente, podem influenciar negativamente o rendimento de todo o sistema de travagem. Muitas vezes, a presença desses elementos pode resultar numa perda repentina da pressão exercida sobre a roda ou sobre o disco, aumentando a distância de travagem ou, em casos extremos, a falha completa da mesma. Os mecânicos do Driver Center estão preparados pata verificar se um carro apresenta sinais de problemas semelhantes aos expostos e podem realizar um procedimento denominado de "drenagem do sistema de travagem".

 

Essa drenagem consiste na eliminação de possíveis bolhas de água ou de outros líquidos dentro do circuito dos travões, para que garantir a presença exclusiva do líquido correto.

 

Reserve online a inspeção ao seu sistema de travagem na oficina Driver Center mais próxima e continue a viajar com total segurança.