Pneus de Inverno: as perguntas mais frequentes

RECONHECIMENTO DE UM PNEU DE INVERNO

 

Os períodos de transição de inverno/primavera, outono/inverno são caracterizados por condições de variabilidade climática. Mas essas mudanças podem também de forma abrupta numa viagem inesperada às montanhas ou à neve. Em ambas as hipóteses, é fácil estar em situações críticas, que colocam em causa a segurança do veículo e dos seus ocupantes, devido à baixa aderência dos pneus de verão ou das estradas escorregadias devido à chuva misturada com neve e lama.

 

Os pneus de inverno oferecem desenhos das bandas de rodagem e componentes adequados para garantir uma boa tração e aderência, mesmo em situações como as descritas acima, que podem ser entendidas como condições nas quais é "obrigatório o uso de correntes ou pneus de inverno".

 

Os pneus de inverno são geralmente classificados como "inverno", "neve" ou "M S", um acrónimo derivado de uma marcação que comprova a sua aptidão para conduzir na lama (Mud) e na neve (SNOW), que se encontra estampada no flanco.

 

DESENHO DIRECIONAL E ASSIMÉTRICO

 

O aumento das prestações dos carros fez com que fossem desenvolvidas bandas de rodagem especializadas para a condução na neve com a criação de pneus direcionais e assimétricos em detrimento dos desenhos tradicionais de "neve", caracterizados pela banda de rodagem simétrica, fortemente laminada e ruidosa.

 

Um design direcional em comparação com um design simétrico oferece as seguintes vantagens:

  • Melhor drenagem da água em piso molhado;
  • Melhor resistência ao fenómeno de aquaplanagem;
  • Melhor aderência em pisos com lama;
  • Redução dos níveis de ruído;
  • Redução da distância de travagem na neve e no gelo.

Os desenhos direcionais são geralmente indicados para veículos de média e baixa cilindrada.

 

Os pneus assimétricos são indicados para veículos de cilindrada média-alta, com alto torque e altos níveis de desempenho, sendo necessário especializar cada parte da banda de rodagem desses pneus: a parte interna garante as funções de tração e travagem; a parte central, caracterizada por raias longitudinais de profundidade, reduz o efeito de aquaplanagem; a parte externa, finalmente, garante rapidez de resposta à mudança de direção e estabilidade direcional.